segunda-feira, 1 de agosto de 2011

VIII - Encontro de Colecionadores de Camisas de Futebol de Curitiba

Olá a todos

Aproveitando para ajudar na divulgação do VIII Encontro de Colecionadores de Camisas de Futebol de Curitiba, que irá ocorrer no próximo sábado.
Estarei presente no evento expondo parte de minha coleção do Operário Ferroviário, marcando território alvinegro, em meio as peças dos clubes da capital.
Se mais alguém aqui de Ponta Grossa tiver interesse em participar, favor entrar em contato para irmos junto ao evento.

Informações:

Local: Ripa na Chulipa (Avenida Iguaçu, 2172)
Dia: 06/agosto - sábado
Horário: A partir das 18h

Lembrando que no sábado tem feijoada no Ripa na Chulipa então o estabelecimento está aberto desde meio-dia quem quiser chegar antes fique a vontade.

sábado, 30 de julho de 2011

1980 - Ampliação do Germano Kruger

Olá a todos.

Antes de iniciarmos com nossa postagem, quero me desculpar pelo longo período de inatividade do blog. Por questões pessoais, estive meio ocupado nos últimos tempos.

Enfim, indo ao que interessa, hoje iremos voltar mais precisamente a 3 décadas atrás, para o ano de 1980.

Apresentamos hoje uma propaganda sobre um dos mais importantes patrimônios do Operário Ferroviário, o Estádio Germano Kruger.

Com as boas campanhas e a ascendência do Operário no final dos anos 70, participando de seu primeiro campeonato nacional em 1979, começa-se a movimentação de bastidores para a ampliação e modernização do estádio.

A divulgação, apresentada em um jornal local no ano de 1980, incentivava a venda das cadeiras do estádio, e apresentava como o Germano Kruger ficaria após a conclusão da obra.

Entendendo a Ampliação:

Durante o governo de Luiz Carlos Zuk, iniciado em 1977, A prefeitura municipal de Ponta Grossa criou a CIDEP (Companhia de Desenvolvimento de Ponta Grossa), orgão responsável para angariar recursos e para o desenvolvimento de diversos setores da cidade de Ponta Grossa, desde aréas urbanas, loteamentos, infraestrutura; como também investimentos na área esportiva. Estes recursos, foram adquiridos em grande parte junto ao Banco CREFISUL.

E dentre os projetos de expansão para a cidade de Ponta Grossa, estava a ampliação do Estádio Germano Kruger. Infelizmente, por questões financeiras e de endividamento da CIDEP junto ao CREFISUL, a obra no Estádio Germano Kruger acabou não sendo concluída como em seu projeto inicial.

Dentre o projeto inicial previsto, apenas a primeira etapa foi executada, com a construção das arquibancadas superiores e instalação de boa parte das cadeiras, obra entregue no ano de 1981. As etapas seguintes, infelizmente ficaram apenas no papel, que seria o prolongamento destas arquibancadas superiores até o final da reta, como também a ampliação do setor de arquibancadas da curva sul e da reta das antigas cabines de rádio.

30 anos depois:

Atualmente muito se fala entre os torcedores sobre a necessidade de ampliação, ou construção de um estádio novo para o Operário Ferroviário.
A grande realidade, é que 30 anos após a última grande obra realizada, o nosso estádio necessita ao mínimo de uma grande reforma, melhorando suas entradas de acesso, e principalmente uma boa manutenção em diversas áreas
.
Desde o retorno do Operário Ferroviário para a elite paranaense, vemos alguns pequenos reparos emergenciais realizados por necessidade e cobrança dos orgãos esportivos, mas ainda existe muita coisa a ser feita.

Com a aproximação do centenário, muito se especula sobre esta "grande reforma", inclusive sendo promessa cosntante de diretores e gestores. O que a torcida realmente espera, é que estas obras sejam feitas de forma responsável e inteligente, evitando repetir os erros e os fracassos que impediram sua realização no passado.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Série D 2010 - Metropolitano (SC) 2 x 3 Operário Ferroviário

Olá a todos.

Retomaremos hoje nossa retrospectiva de como foi a campanha do Operário Ferroviário durante o Campeonato Brasileiro da Série D em 2010.

Hoje iremos relembrar como foi a segunda partida do Operário Ferroviário contra a equipe do Metropolitano da cidade de Blumenau (SC), válida pela segunda fase da competição.

Após conquistar uma vitória na primeira partida na semana anterior, a equipe Alvinegra vai a cidade de Blumenau precisando apenas de um empate para se classificar para as quartas de final da competição.
Ingresso da FCF(Fed. Catarinense de Futebol), utilizado na partida.

E naquela nublada tarde de domingo, dia 12 de setembro de 2010, ambas as equipes voltam a se enfrentar no belo Estádio do Sesi.. O torcedor operariano tem conhecimento da importância da partida, comparecendo em excelente número, praticamente lotando o setor destinado aos torcedores visitantes.

E para quem esperava um Operário fechado e jogando apenas com o regulamento embaixo dos braços abdicando-se do ataque, se enganou. A partida foi bastante movimentada do início ao fim.

Desde o início da partida a equipe comandada por Caçapa postou-se segura na defesa, mas buscando sempre organizar contra ataques rápidos com a finalidade de liquidar de vez com a partida. Este poder ofensivo logo surtiu efeito e já aos 7 minutos Ícaro faz 1 a 0, ampliando ainda mais a vantagem Alvinegra.

E o poder ofensivo do Operário não parou por ai, aos 15 minutos após boa jogada de Baiano, Ícaro faz o seu segundo gol na partida, e aumentando ainda mais a vantagem. Aos 35 a equipe catarinense desconta com Fabinho, decretando o placar final do primeiro tempo em 2 a 1 para o Operário.

Para a segunda etapa, o Operário administra a vantagem conquistada, e somente aos 35 minutos o Metropolitano chega ao empate, após chute de longa distância de Michel. Restando 10 minutos de jogo, a classificação do Operário era questão de tempo, mas para literalmente acabar com o jogo, aos 47 minutos Ednilson decreta a classificação e a vitória do Fantasma, encerrando a partida em 3 x 2.
Torcida operariana em excelente número na cidade de Blumenau.

Jogadores comemoram classificação junto ao torcedor ao final da partida.

A equipe do Operário Ferroviário, comandada por Caçapa foi a campo com: Ivan; Leonardo, Rodrigo De Lazzari e Fabiano; Cassiano, Rogerinho (Péricles), Diego Zanuto, Cambará e Edson Grilo (Vinícius); Ícaro (Edenílson) e Baiano.

O time do Metropolitano, treinado por Mauro Ovelha entrou em campo com: João Paulo; Nequinha, Neto, Thiago Couto e Tom (Edimar) (Michael); Fabinho, Leandro Leite e Mário André; Giba, Tozim e Adriano (Gavião).

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Série D 2010 - Operário Ferroviário 1 x 0 Metropolitano (SC)

Olá a todos.

Hoje voltaremos a apresentar e a relembrar nossos leitores como foi a campanha apresentada pelo Operário Ferroviário durante o Campeonato Brasileiro da Série D em 2010.

Após classificar-se na segunda colocação pelo grupo 9, para a fase seguinte o Alvinegro de Vila Oficinas jogou em partidas de ida e volta contra a primeira colocada do grupo 10, sendo que de acordo com o regulamento da competição, a equipe com melhor desempenho, tem a vantagem de disputar a segunda partida em seus domínios. E o adversário do Operário Ferroviário, foi a equipe do Metropolitano, da cidade de Blumenau- Santa Catarina.

Para esta primeira partida decisiva disputada no Estádio Germano Kruger, o Operário mesmo tendo obtido a classificação para a fase seguinte, até este momento não havia apresentado uma bela exibição para a sua torcida. As maiores cobranças eram sobre os setores de criação e ataque, que ao longo de toda a primeira fase não foi muito produtiva. Para esta segunda fase, a equipe se reforçou com alguns jogadores, como a volta de Baiano, e a chegada de Grilo e Rogerinho.
Ingresso utilizado na partida do Operário contra a equipe catarinense.

Voltando a partida, o jogo realizado no dia 05 de setembro de 2010, apresentou um público abaixo da expectativa, ainda desconfiado com o time que durante a primeira fase foi muito limitado e economico no número de gols. Apenas 3446 torcedores acompanharam a partida no Estádio Germano Kruger.

Mas durante esta partida, o elenco apresentou uma postura totalmente diferente do que havia apresentado durante toda a competição, convencendo e empolgando a torcida. Em um primeiro tempo de muita pressão, o Fantasma teve diversas oportunidades de gol, mantendo amplo domínio da partida.

Na segunda etapa, a partida permaneceu com o mesmo panorama, o Operário Ferroviário buscando o ataque e mantendo o amplo domínio de jogo, e a equipe catarinense do Metropolitano com a proposta clara de jogar fechada para manter pelo menos o empate, ou quem sabe obter exito em um contra ataque. Tática equivocada e que não rendeu resultado.
video

Após muita pressão, o gol do Operário foi questão de tempo, e aos 24 minutos do segundo tempo, Ednilson aproveita rebote dado pelo goleiro João Paulo da equipe catarinense e define o marcador que persistiu até o final da partida, Operário Ferroviário 1 x 0 Metropolitano. Com isto o Alvinegro faz seu dever de casa, podendo jogar pelo empate na próxima partida na cidade de Blumenau.

O Operário Ferroviário treinado por Caçapa, foi a campo com: Ivan; Cassiano, De Lazzari, Fabiano, Rodrigo De Lazzari e Rogerinho; Dário, Diego Zanuto, Cambará (Leonardo) e Grilo; Baiano (Léo Gazola) e Ícaro (Edenílson)

Já a equipe do Metropolitano, treinado por Mauro Ovelha, foi para o jogo com: João Paulo; Anelka (Leandro Leite), Thiago Couto e Amaral Rosa; Nequinha, Fabinho, Marcos Alexandre, Michael (Tozim) e Pereira; Giba e Adriano (Edimar).

quarta-feira, 25 de maio de 2011

1992 - Coritiba 3 x 1 Operário Ferroviário

Olá a todos.

Após relembrarmos como foi toda a 1º fase do Campeonato Brasileiro da Série D em 2010, vamos fazer um intervalo, para postar um vídeo interessantíssimo.

Com certeza é vídeo é interessantíssimo, e foi primeiramente divulgado pelo grupo de historiadores Helênicos, que resgatou boa parte do passado do Coritiba Foot Ball Club para o centenário da equipe da capital.

E apesar de não possuirmos o único gol do Operário Ferroviário na partida, ele é importante para ser publicado por alguns aspectos. Primeiramente, pois vemos em ação uma das camisas mais bonitas que o Fantasma já utilizou, a camisa fabricada pela Campeã e com detalhes quadriculados no peito.
E com ele podemos rever o seu patrocinador das costas, esquecido pelo tempo, onde sempre se mostra a formação oficial desta equipe e o patrocínio frontal. Vemos escrito nas costas acima dos números Wosgrau, com certeza o grupo de empresas pertencentes ao atual prefeito de Ponta Grossa. E o patrocínador frontal era o antigo Supermercados Real.

E também para relembrar e para muitos, verem pela primeira vez o eterno ídolo Alvinegro João Marcos , O Diabo Loiro em ação, assim como demais jogadores que ainda hoje são relembrados com um grande carinho pela torcida.
João Marcos, o segundo da direta para esquerda em pé, no elenco em 1991.

Mas João Marcos, mesmo após todos os problemas pessoais pelo qual passou após encerrar sua carreira, deu provas ano passado após voltar ao Germano Kruger do porque é um ídolo, e não apenas mais um jogador qualquer. Onde após anos longe do estádio, ao adentrar ao gramado, retirou seu calçado. Sua justificativa? Aquele gramado é um espaço sagrado para ele, e aonde ele foi muito feliz por uma boa fase de sua vida.
João Marcos, em evento promovido pela Torcida Trem Fantasma em 2010.

Este jogo foi realizado na capital paranaense no Estádio Major Couto Pereira, em jogo válido pelo Campeonato Paranaense de 1992.

Esta partida, foi realizada no dia 31 de agosto de 1992, sendo o seu placar final de Coritiba 3 x 1 Operário Ferroviário. O gol Alvinegro foi marcado pelo atacante Balduíno; já para a equipe do Coritiba os gols foram marcados por Casagrande, Pachequinho e o goleiro Rafael Camarota.

video

O Operário Ferroviário, foi a campo naquele dia 31 de agosto de 1992 com: João Marcos; Francisco (Cajinho), Ricardo Modesto, Rogério e Alex; Chicão, Biro Biro e Serrano; Antunes, Éder (Wesley) e Balduíno.
O Coritiba, foi a campo com: Rafael Camarota; Jorjão, Ivanildo e Betinho; Hélcio, Alcir (Jeferson) e Fabiano; Ricardo (Pedro Paulo), Casagrande e Pachequinho.

Série D 2010 - Operário Ferroviário 1 x 0 São José (RS)

Olá a todos.

Hoje apresentamos a nossos leitores, a último jogo realizado pelo Operário Ferroviário pela 1º fase do Campeonato Brasileiro da Série D no ano de 2010.

E esta partida foi decisiva para a continução do Alvinegro na competição. Restava em disputa apenas uma vaga para o grupo 9, pois a equipe do Joinville já havia garantido a sua classificação como lider do grupo após vitória sobre o Operário Ferroviário na rodada anterior.
Ingresso da partida entre Operário e São José.

Com isto, a partida entre Operário Ferroviário e São José tomou ares de decisão, pois apenas uma equipe iria prosseguir na competição.
Antes da partida, assim como ocorreu na cidade de Porto Alegre na primeira partida, as torcidas Trem Fantasma e Os Farrapos do São José confraternizaram em um grandioso churrasco na sede social do Operário Ferroviário, deixando a rivalidade existente somente para dentro das 4 linhas.A partida realizada no dia 22 de agosto de 2010, assim como foi uma tendência durante toda a competição não contou com o bom público que sempre foi uma das marcas tradicionais do Operário Ferroviário. Apenas 3151 acompanharam a partida. São vários os fatores que motivam a diminuição do público durante o segundo semestre. Sendo o principal naquele momento, a dificuldade encontrada pelo ataque Alvinegro, que até este momento não havia apresentado uma boa partida para seus torcedores.

O jogo entre Operário e São José começou com bastante equilíbrio entre as equipes, onde o Alvinegro possuiu algumas chances de gol, mas o primeiro tempo permaneceu com o marcador fechado.

Com a necessidade de fazer o marcador para seguir adiante no campeonato, na segunda etapa o técnico Caçapa posta o Operário mais ofensivamente, retirando o meio campista Dário, e colocando o atacante Léo Gazola. Aos 18 minutos de jogo, as modificações surtiram efeito, e em cruzamento na área, Tardeli finaliza sem chances para o goleiro da equipe gaucha.
video
Com este unico gol na partida, o Fantasma classifica-se para a segunda fase da competição, sendo seu próximo adversário a equipe do Metropolitano, da cidade de Blumenau-SC.

A equipe do Operário que entrou a campo naquela tarde foi: Ivan, Cassiano, De Lazzari, Vinícius e Péricles; Dario, Cambará, Diego Zanuto e Danielzinho; Tardeli e Edenílson.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Série D 2010 - Joinville (SC) 2 x 0 Operário Ferroviário

Olá a todos.

Seguindo com nossa retrospectiva do Campeonato Brasileiro da Série D no ano de 2010, hoje iremos ver como foi a 5ºpartida do Operário Ferroviário.

Após vitória na semana anterior sobre a equipe do Oeste (SP), o Alvinegro vai disputar sua próxima partida longe do Estádio Germano Kruger, como um dos líderes do grupo 9, juntamente com o seu adversário, a equipe do Joinville.

No dia 15 de agosto de 2010, Operário Ferroviário e Joinville entram em campo para disputar a liderança do grupo, sendo que a equipe vitoriosa garantiria antecipadamente classificação para a fase seguinte da competição.
Elenco Alvinegro recepciona a torcida que foi a Arena Joinville torcer para o Operário.

Jogando fora de seus domínios, o Fantasma não apresentou uma boa partida. Desde o início a equipe catarinense foi superior em campo, conseguindo abrir o marcador logo no início da partida, aos 4 minutos do primeiro tempo com Paulinho Dias. Ficando atrás do marcador aos poucos minutos de jogo, o Operário obriga-se a buscar com mais empenho o ataque, entretanto sem muita força ofensiva.

Para a segunda etapa, o Alvinegro continua buscando o gol sem muito sucesso, e aos 26 minutos da etapa complementar, em um rápido contra ataque a equipe do Joinville amplia o marcador com Marcelo Silva. Após este gol, a situação do Operário na partida ficou muito mais complicada, decretando praticamente o placar final do jogo.
video
Com esta derrota, a classificação Alvinegra foi adiada para a semana seguinte, onde Operário Ferroviário e a equipe do São José (RS), iriam disputar no Estádio Germano Kruger qual equipe iria prosseguir para a segunda fase da competição.

O Operário Ferroviário, treinado pro Caçapa entrou a campo naquela tarde com: Ivan; Cassiano, De Lazzari, Fabiano e Péricles; Dário, Diego Zanuto, Cambará e Danielzinho (Rilber); Edenilson e Léo Gazola (Vinicius).

A equipe do Joinville, que teve neste jogo a estréia do técnico Leandro Machado, foi a campo com: Fabiano; Rafael Tesser, Fernando, Souza e Eduardo (Neném); Carlinhos Santos, Paulinho Dias, Ricardinho (Paulo Roberto) e Marcelo Silva; Eder (Marcelinho) e Charles.